Uma história em quadrinhos adaptada para o cinema. O filme de 1966 dirigido por Joseph Losey e estrelado por Monica Vitti e Terence Stamp é um primor de comédia. Austin Powers nem sonhava em existir e Modesty Blaise já usava o humor misturado com tramas rocambolescas de espionagem.

MB
[Modesty Blaise & Willie Garvin]

A heroína Modesty Blaise [Monica Vitti] é uma espiã no estilo de James Bond, com todas as parafernálias que todo bom espião de filmes ingleses da década de 60 precisava carregar. Além, é claro, do charme, sexy appeal e muitas conexões com gente importante. E Modesty tem um partner, o único em quem ela pode confiar [além do seu pai adotivo, um sheik arábe milionário!] – Willie Garvin [Terence Stamp]. Juntos eles vão lutar contra o vilão Gabriel [Dirk Bogard] e triunfar, é lógico!

MB

[Monica Vitti como Modesty Blaise]

Tudo em Modesty Blaise é exagerado e por isso eu achei o filme tão divertido. As gadgtes modernosas, os cenários, os figurinos futuristas de Modesty, a trama altamente rocambolesca que você precisa fazer anotações diagramáticas para tentar entender [e não consegue!], os diálogos hilários…

MB

[Terence Stamp & Peter O’Donnell]

Alguns detalhes que deixam o filme mais divertido:
* Monica Vitti está linda e faz uma heroína marota. Até quando está totalmente dominada pelo vilão de peruca Gabriel, ela tem um sorriso malicioso na cara. E suas roupas – que mudam de cores, assim como os seus cabelos – são um primor de cafonice futuristica.
* Terence Stamp é um colírio para os olhos. Na sua primeira cena no filme, ele está com uma mulher na cama e quando recebe um telefonema da ‘princess’ Modesty, simplesmente ignora a coitada, que não tem outra alternativa senão vestir-se e puxar o carro!
* Na fabulosa ilha italiana do vilão Gabriel tudo é rebuscado. Os copos são todos enormes e com hastes longas. Ele bebe um drink azul com um peixe dourado nadando dentro. Na primeira tomada eu posso jurar que vi uma fatia de limão no copo! Depois virou um peixe…..
* As crises de consciência do blasé Gabriel são pontuadas para fazer um contraponto com a crueldade da sua companheira, a horrorilda Mrs. Fothergill [Rosella Falk], que tortura maquiavélicamente os seus comandados.
* Modesty e Garvin dirigem um avião e ao mesmo tempo que conversam, dão bicadas no copo de whisky. Talking about drink and drive!

5 thoughts on “Modesty Blaise

  1. Conheço Modesty Blaise desde que eu tinha uns 15 anos pois meu pai tinha alguns livros dela, hoje estou com 35 e herdei os livros que trouxe para meus filhos lerem. Gostaria de encontrar os que não tenho para comprar. Alguém tem idéia de onde posso achá-los? Moro em São José dos Campos.

  2. achei o maximo ter algo sobre a modesty ,, a algum tempo andei procurando e nunca encontrei nada nem mesmo peter o’donell
    tenho tres livros da série modest*sabor de morte
    *amante do perigo
    *a volta de modesty blaise

  3. Monica Vitti é, para usar uma gíria da época, um piteuzinho e tanto. Desde que a vi em “A Noite”, do Antonioni, fiquei fascinado pela beleza e pelo talento dessa atriz.

  4. Oi, Fer!
    Dei uma olhada nesse filme por esses dias. O figurino engraçado me chamou a atenção e eu parei para ver um filme já começado mesmo este não sendo o meu estilo, geralmente.
    Passou no Telecine Happy. Também gostei muito e fiquei me perguntando quem seria aquele cara bonitão esnobando a companheira de cama até que me toquei de quem era. Ui!
    Vou dar uma olhada na programação para ver a reprise e ver se pego do início até o final (que também acabei não vendo pq tive que sair.
    (Ontem teve entrevista com Rodrigo Santoro no Fantástico!)
    Beijo,
    CC

Comments are closed.