Fui ver a nova comédia romântica do Woody Allen, com New York de cenário, Billie Holiday de trilha sonora, muitos diálogos engraçados e nenhum beijo entre o Allen e alguma atriz jovenzinha! [uau!!!!]
Anything Else é um filme divertido. Não é uma obra-prima, mas entretem, faz rir, é gostoso de ver. E acho que vai redimir a carreira do Jason Biggs, que parecia estar fadado a protagonizar comédiazinhas idiotas do estilo de American Pie e suas inúmeras seqüências chatas.
Jason Biggs é Jerry Falk, um rapaz judeu que escreve texto para comediantes e aspira ser um escritor sério. Ele tem problemas em todos os tipos de relacionamento em que se involve. Tem problemas com as namoradas, com o seu manager e até com o seu psiquiatra. Ele não consegue ser assertivo, nem dar um basta ou um pé na bunda de ninguém. Numa reunião de negócio ele conhece David Dobel [ Woody Allen, outro escritor de comédia nas horas vagas. Dolbel e Falk tornam-se amigos. O personagem de Allen poderia ser encarado como um tipo de ‘grilo falante’ verborrágico, ranzinza e esquentadinho, que aos poucos vai fazendo com que o amigo perceba e vá mudando suas atitudes com relação à namorada neurótica, Amanda [Christina Ricci] e o seu manager chantagista e dominador [Danny DeVito].
Anything Else é um Woody Allen regular. Mas um diretor não precisa ser sempre super genial para ser apreciado, com um bom saco de pipoca numa sessão quase vazia de quinta-feira à noite.

One thought on “Anything Else

  1. Quando o filme estreou em Veneza, o Woody disse que era uma metáfora a respeito do Estado de Israel, o que me fez pensar que se tratasse de um filme mais sério…
    Beijos!

Comments are closed.