A rede PBS iniciou ontem uma série de sete filmes chamada The Blues. Os filmes de uma hora e meia cada, foram produzidos pelo cineasta Martin Scorsese e dirigidos por sete diretores diferentes. Ontem vimos o primeiro deles, Feel Like Going Home, dirigido por Martin Scorsese, onde o músico Corey Harris viaja do Mississipi ao Oeste da África, resgatando os músicos do passado e seus antepassados e ligações africanas. Esse primeiro programa deve ser o mais histórico, pois relata um pouco da base do Blues e seus nomes mais importantes: Charles Patton, Son House, Robert Johnson, John Lee Hooker e Muddy Waters. Sem esquecer de frisar a importância de Alan Lomax e o seu trabalho extenso de garimpagem e gravação de músicos, feito durante a década de quarenta. Se não fosse por Lomax muitos desses músicos importantes do Blues teriam sido fadados ao esquecimento. O filme não trouxe nada de novo ou nada que eu já não soubesse. Mas fez um apanhado histórico básico de uma maneira bonita e simples. Corey Harris conversa, entrevista e faz algumas jams com alguns dos remanescentes do velho Blues. Keb Mo’ também dá uma canja e a viagem á África amarra toda a história com classe e emoção.
Hoje teremos The Soul of a Man dirigido por Wim Wenders.
Os próximos serão The Road to Memphis por Richard Pearce, Warming by the Devil’s Fire por Charles Burnett, Godfathers and Sons por Marc Levin, Red, White & Blues por Mike Figgis e Piano Blues por Clint Eastwood. Um filme por dia, até sábado, dia quatro de outubro.
Essa produção do Scorsese e uma série de cds compilando as músicas dos filmes, faz parte das celebrações deste ano de 2003, que foi declarado o Ano do Blues.

One thought on “The Blues

Comments are closed.