Brazilian Psycho

Acho que estou virando um workaholic. Tem dias em que eu me sinto igual ao Patrick Bateman, aquele personagem do Bret Easton Ellis que foi magnificamente interpretado por Christian Bale em “American Psycho”. Não chego a me sentir um “carreirista” daqueles que só pensa em subir na “corporate ladder”, passando por cima dos outros, sem se importar com mais ninguém. Ao mesmo tempo, minha vida profissional (e é assim que eu tenho visto a vida de todos os profissionais, não importa o ramo) é uma seqüência de imagens cuidadosamente criadas para causar esta ou aquela impressão nos outros. Os outros são todos, chefes, patrão, colegas, subordinados, clientes, vizinhos… (pois é, até vizinhos) e, por que deixá-los de fora, amigos e familiares. Por isso a seqüência de imagens extrapola o mundo corporativista e invade nossas vidas fora da empresa.
Talvez o resto do mundo consiga lidar com isso melhor do que eu, mas a sensação que tenho é que preciso me provar o tempo todo do quanto sou capaz. E daí para me sentir o psicótico Patrick Bateman é um passo. Fico lembrando daquela cena do filme em que ele e os outros yuppies de Wall Street comparam cartões de visita e chegam a conclusão de que outro (que não o de Bateman) é o melhor. Ele fica enfurecido, mas contem sua fúria no momento e depois, simplesmente, assassina a machadadas o “concorrente”, que ele havia convidado para um drink em sua casa.

apposter.jpg

A briga velada (às vezes nem tão velada assim) pelo poder e status, impulsionada pela cultura do consumo (só somos felizes quando podemos ter, ter e ter mais) nos transforma em psicopatas, em assassinos da boa vontade, da colaboração e do trabalho em equipe. Tenho chegado em casa tão cansado que fico sem vontade de fazer coisa alguma. Não consigo tempo para responder emails particulares nem entrar no Cinefilia para ler o que a queridONA Fer escreveu. Muito menos tenho tempo para escrever sobre os filmes que tenho visto. Ah, mas para isso eu tenho tempo!
Tenho ido ao cinema com alguma freqüência e essa é minha única válvula de escape da qual não abro mão. Vi “Invasões Bárbaras”, vi “Simplesmente Amor”, “Mystic River” e “Sexo, Amor e Traição” entre outros. Vi “O Último Samurai” no dia da estréia, como bom fã de Tom Cruise que sou e fiquei satisfeito, embora tenha achado o filme muito cheio dos clichés. Ainda considero “De Olhos Bem Fechados” o melhor filme do Tom ou pelo menos, o meu predileto. Falando nisso, li o livro no qual Stanley Kubrick se baseou e achei brilhante! Gostei ainda mais do filme pois achei a adaptação MUITO BOA! Tá, eu sou suspeito, mas o filme é MUITO fiel ao livro. E, nesse caso, isso é um ponto positivo.
Além de cinema, continuo vendo filmes em casa. Minha coleção de DVD está aumentando a cada dia. Meus últimos achados (sempre compro os mais baratos, nas ofertas e nas promoções que encontro) foram: “A Marca da Maldade” do Orson Welles, “O Bebê de Rosemary” do Polanski, “Saturday Night Fever” com o Travolta dos disco days e “Manhattan” do Woody Allen. “Manhattan” então foi quase de graça pois achei numa promoção dos céus, por míseros 15 reais! Nem acreditei. E TODOS, atenção, em formato WIDESCREEN! Isso pra mim é um pré-requisito atualmente e não compro mais nenhum filme que não seja nesse formato. ODEIO ver filme “cortado” pelo “full screen” que eles fazem. Acho um absurdo, uma “sacanagem” com o diretor do filme, com o fotógrafo e com toda a equipe, enfim.
Bom, era isso o que eu tinha pra falar por hora. Vou descansar que amanhã é um novo dia de trabalho e preciso dormir cedo pra manter o visual bem disposto, como me ensinou meu amigo Patrick Bateman (se alguém souber como eu posso fazer para conseguir a versão widescreen, sem cortes, do American Psycho, por favor me avise. Só tenho achado “a outra”!).

ameri05.jpg

6 thoughts on “Brazilian Psycho

  1. Eu tinha escrito que o nome do personagem era JASON Bateman, mas na verdade o nome do cara é PATRICK Bateman. Não sei onde estava com a cabeça. Mas já corrigi!!
    :^)))

  2. Aquela cena da comparação dos cartões é realmente brilhante.
    Vc viu o THE RULES OF ATTRACTION que é do mesmo autor??? O personagem principal é irmao do Jason Bateman…
    E pra mim melhor papél do Cruise foi em MAGNOLIA e NASCIDO EM 4 DE JULHO. No DE OLHOS BEM FECHADOS está muito bem, mas os méritos são mais do Kubrick…

  3. Queridao!
    Que alegria te ler aqui no nosso Cinefilia….. 🙂
    Bom, eu fui uma das pessoas que gostou de American Psycho. Consegui ver o humor e a ironia. Muita gente pixou o filme…. Mas ele eh uma caricatura da realidade. E voce esta vivendo isso!
    Outro filme legal sobre ambiente de trabalho, que eu vi para aquela minha classe de outono em Corporate Cultures, eh Office Space. Incrivel! eh um filme que exagera, mas que toca na ferida. Quem tem [ou tinha] um emprego no Silicon Valley que o diga!;-)
    Moa, voce acredita que eu ainda nao comorei um dvd?? Ja vi pra vender uns de $56…. E eu comprei uma TV de tela plana, 27″ de uma amiga que voltou pro Brasil, pro Urso ver os jogos dos Kings [que ele via numa tv velha, da Marianne]. Otima pra ver filmes. Mas nao comprei o DVD….. E os unicos cds que tenho sao ‘aquele’ que nao roda no meu Mac, e dois que comprei por $5 cada numa liquida do Wal-Mart – Altered States [com o William Hurt… humm!] e The Man with Two Brains [com o Steve Martin]…. To maus!!!!!!!!!!!!! :-)))))))))
    Beijaooooooooo!

  4. Nossa, como o Christian Bale está a cara do Rodrigo Santoro nesse cartaz do American Psycho!!! Ainda não vi o filme, mas assisti o Rules of Attraction, que pela pouca informação que tenho se baseia no livro escrito pelo mesmo autor que criou o psicopata norte-americano. E o personagem de Bale parece que é irmão do rapazinho principal do Rules of Attraction, interpretado magistralmente pelo então-ingênuo garotinho do Dawson’s Creek.
    Adorei o texto! E fiquei com inveja da coleção de DVDs ;o)
    P.S.: Ouvi dizer que o Christian Bale será o novo Batman. É verdade? Se for será o mais sexy até agora.

Comments are closed.