Estou trazendo pro Cinefilia comentários de filmes que escrevi tempos atrás e que estavam no Fezoca Online. Mas não estou fazendo isso só por fazer. É que tenho revisto esses filmes na tevê e daí fico curiosa para reler o que escrevi na época, pra ver o que eu achei e se mudei de opinião. No caso de I Am Sam, eu não sou mais tão entusiasmada pelo filme. Mas admito que ele continua me emocionando e me fazendo chorar a cada minuto, além de ser um filme gostoso de ver, especialmente quando as cenas vêem acompanhadas dos deliciosos covers das músicas dos Beatles. Só pra constar: sim, eu acabei comprando o cd da trilha sonora, que ouvi muito menos do que ela merecia.

||||||

Eu estava certa que I Am Sam iria ser um baita filme xarope. Vi os anúncios e o Sean Penn, no papel do pai retardado que perde a custódia da filha, parecia a reencarnação do Dustin Hoffman em Rain Man. Mas que surpresa! Eu estava equivocada!
Logo nas primeiras cenas o Ursão – que nunca comenta filmes assim efuzivamente – disse ‘nossa, como ele está bem! que impressionante!’. Ele estava falando do Sean Penn. Nesta hora eu já estava de kleenex em punho, chorando que nem uma tonta!
I Am Sam tem uma história que poderia descambar para um dramalhão, mas isso não acontece. É tudo tão delicado que se chora com prazer, daqueles choros de lavar a alma. Sam é um deficiente mental que engravida uma mendiga. Quando a criança nasce a mãe foge e deixa o bebê com Sam. Ele põe o nome na filha de Lucy Diamond, por causa da música Lucy in the Sky with Diamonds, dos Beatles. Acontece que tudo na vida de Sam é explicado pelas histórias e músicas da banda inglesa. Ele é fã do grupo e consequentemente [e maravilhosamente] a trilha sonora inteira do filme é composta de covers de sucessos dos Beatles. Esse é um cd que eu vou comprar com certeza! Artistas como Sarah McLachlan, Sheryl Crow, Eddie Vedder, Ben Harper, Nick Cave, The Black Crowes e The Wallflowers cantam suas versões de músicas dos Beatles.
E Sam também é fã dos livros do Dr. Suess!!
Bom, se o Sean Penn for indicado para algum Oscar, acho que não vai ter pra mais ninguém, porque ele fez um trabalho perfeito. Todo o elenco de apoio está muito bem, com exceção da Michelle Pfeiffer que está linda, mas não consegue segurar a peteca numa cena dramática.
Única chatice do filme: as toneladas de merchandising para a rede Starbucks e Pizza Hut.. é irritante!

||||||

4 thoughts on “I Am Sam

  1. Eu também admiro, toda vez em que assisto a esse filme, a interpretação do Penn. E concordo com a derrubada de peteca da Michelle naquela cena mais dramática (devemos estar pensando na mesma): ela simplesmente não consegue acompanhar o ritmo.
    Um beijo, Fer!

  2. Julio,
    Concordo com a sua avaliacao do Sean Penn. Ele esta pior que o Johnny Depp nessa historia de interpretar personagens problematicos, hein? 🙂
    Eu gosto dele naquele filme que ele faz com a mulher dele – She’s so Lovely. Adorei ele em Sweet & Lowdown. Em Mystic River ele estava perfeito e mereceu o Oscar, mas o personagem eh mesmo ‘over the edge’.. Tem uma cena em que o sogro dele diz que a filha arrumou um ‘good old school man’, no sentido positivo de que ele vai dar porrada, vai fazer vinganca com as proprias maos, vai resolver todos os problemas da maneira dele, como ele faz mesmo [e eh onde Eastewood prova que nao eh bem por ai a maneira de se fazer as coisas..].
    Nao gostei de Dead Man Walking….. achei pesado demais, melodramatico demais…..
    Precisa ser muito bom ator pra fazer um retardado como em I Am Sam sem cair nos cliches.
    beijao!

  3. Fer :
    Eu adoro o Sean Penn, mas tenho que concordar com sua reavaliação deste filme. A única coisa capaz de fornecer-lhe algum interesse é justamente o desempenho do seu ator principal. Penn beira perigosamente o overacting, como em alguns momentos de “Mystic River”, p. ex., mas paradoxalmente é esse excesso que acaba conferindo aos seus personagens um insuspeito grau de humanidade.
    É um grande ator, sem dúvida, embora eu tenda a respeitá-lo muito mais por seus papéis que não envolvem escolhas políticas diretas (como o excelente Jimmy Markum de “Mystic River”) que por suas opções mais “panfletárias” (como os “vitimados” pelo sistema de “I am Sam” ou “Dead Man Walking”).
    Grande abraço!!

Comments are closed.