Não sei se os nossos leitores do Cinefilia notaram a minha ausência neste fantástico e maravilhoso blog. Coisa rara eu parar de escrever, mas pra quem reparou, eu tenho uma explicação – Viajei!
Viajar e parar de escrever são fenômenos raros no meu cotidiano. A explicação é que eu ADORO escrever e DETESTO viajar!
Mas viajei e parei de escrever. Mas isso não quer dizer que parei de ver filmes! Pelo contrário, minha viagem me proporcionou ver filmes brasileiros, desses que nunca vão chegar por aqui.
O mais bacana dessa minha viagem foi ter visto esses filmes na companhia do meu mais querido cinéfilo – o Moa, que além de meu amigo, tem sido meu companheiro neste blog deste o princípio.
Meus filmes das férias:
No avião – ida e volta – San Francisco – Miami- Rio de Janeiro:
Love Actually – bem legal, mas gostei mesmo foi da trilha sonora.
The Calendar Girls – bonito e até engraçado, mas meio deprê……
Chasing Liberty – o filme era tão chatinho que eu DORMI!
50 First Dates – awn…. tédio. filminho chatinho e prevísivel. a versão goofy de Memento. e Adam Sandler sempre fazendo o papel dele mesmo….
No Brasil:
Diários da Motocicleta – ADOREI, apesar do Moa ter dormido e reclamado que o filme foi chato. eu gostei, me identifiquei com a história do Ernesto Guevara e sua viagem que lhe abriu os olhos para as injustiças e pobreza na América Latina.
Do Outro Lado da Rua – um filme BEM deprimente, mas com atuações realmente fabulosas da Fernanda Montenegro e do Raul Cortez, com referências óbvias à Rear Window do Hitchcock.
Lisbela e o Prisioneiro – filme fofíssimo que eu e o Moa vimos em DVD – ele cochilando e eu com a bunda quadrada, pois estava cansada…. Mas mesmo assim me encantei! a história é cheia de clichês, mas prende a atenção e é divertida. pra mim, qualquer filme brasileiro vale o preço do ingresso e eu vou gostar, mesmo se ele não for uma obra prima.
De volta à Davis, CA:
The Stepford Wives – gostei mais do que eu pensei que iria. uma comédia que não fica chata em momento algum. eu não sabia, mas esta é uma refilmagem da mesma história feita em 1975 com a Katharine Ross no papel feito neste novo filme pela Nicole Kidman.

4 thoughts on “cine-viagem

  1. Eu só espero que essa sua passagem pelo Brasil tenha sido em São Paulo. Porque se tiver sido no Rio, eu vou ficar muuuuito chateado em não ter sabido… 🙂
    Quanto ao Moa… Moa, se você dormiu, foi em boa companhia, né ? Diz que não pra você ver uma coisa ! 🙂
    Um abração,
    Marcelo

  2. Fer!!!! Olha como vai ficar a minha imagem de cinéfilo!! Toda estragada, esculhambada, arrastada na sarjeta (j ou g???)!!! Eu DORMI em DOIS filmes em menos de quatro dias?? Que absurdo!! Tem que explicar pro “povo”, nossos caros leitores, que eu tinha bebido cerveja na hora do almoço, antes de vermos “Diários” e que eu JÁ TINHA VISTO “Lisbela” antes no cinema! Então tô “perdoado” pelas duas gafes, vai! :^)))))
    Beijocas, com muita saudade,
    Moa

  3. FER, CLARO QUE NOTEI SUA AUSÊNCIA E SENTI SUA FALTA, SIM…!SEMPRE VINHA AQUI E CHEGUEI A ENVIAR UM E-MAIL PARA O MOA ACAHNDO QUE ESTAVA FALANDO COM VOCÊ. E FOI BOM PORQUE VI QUE ELE TAMBÉM É GENTE BOA E GENTIL COMO VOCÊ. OLHA SÓ, QUE BOM QUE VOLTOU, VIU? HÁ MUITO TEMPO, ESTE SEU ÓTIMO BLOG É LINKADO AO MEU. DÁ UMA PASSADINHA POR LÁ E DIGA O QUE ACHOU, TÁ? BEIJOS.

  4. Ah, Fernanda, gostei do “50 first dates”: a mistura de “Groundhog Day” e “Good bye, Lenin!” mais a trilha sonora acabaram por me fazer gostar do filme mais do que eu esperava. Que versão linda de “Somewhere over the rainbow” – pesquisei na internet e descobri que o intérprete é um moço de Honolulu. Não achei tão previsível assim: sabia que eles iriam ficar juntos, mas não sabia como – e sinceramente, achava que ela fosse “repentinamente” se curar. Ah, e me diverti bastante durante toda a sessão. Pra ser bem sincero, me emocionei também na mesma proporção. Isso de conquistar a pessoa amada todos os dias é tudo que busco na vida… “Love Actually” é bem lindinho e a trilha é mesmo fabulosa (saí do cinema e fui direto para a loja de discos comprar o meu). Também gostei muito de “Diários de Motocicleta” e de “Lisbela e o prisioneiro” – cuja trilha também é legalzinho com destaque para Elza Soares e Los Hermanos. Os demais filmes não vi ainda. É isso. Abraço, do Ícaro.

Comments are closed.