collateral collateral
collateral collateral
—-

Filmes de ação não me atraem. Filmes com o baixinho Tom Cruise também não me atraem. E Michael Mann nunca esteve na minha lista de diretores memoráveis. Por que então eu quis ver Collateral? Nenhuma explicação ou motivo especial. Mas eu fui ver e não me decepcionei.
Primeiro porque Mann coloca o espectador no centro da trama. Segundo, porque ele insere a noite da cidade de Los Angeles como cenário e como personagem. E terceiro, porque ele revela um grande ator.
Em Collateral Mann conta a história do assassino profissional Vincent [Tom Cruise], contratado por um chefão mexicano para eliminar cinco testemunhas que podem incriminá-lo. Vicent pega o taxi de Max [Jamie Foxx] no aeroporto de Los Angeles e o faz refém, para guiá-lo na sua noite de encontros de ‘negócios’. O assassino e o motorista de taxi têm episódios de confronto, mas também trocam confidências e chegam próximos de um estranho companheirismo.
Eu me senti sentada no banco de passageiros do taxi de Max [Jamie Foxx] em muitas cenas. O ritmo do filme é pulsante e não dá espaço para nenhum minuto de tédio. Embora recheado de clichês de filmes de ação e policiais, Collateral tem um sabor especial. E isso se deve muito à atuação magnífica de Jamie Foxx, que praticamente rouba o filme. Move over Tom Cruise….. desta vez o cara simples, sem beleza física e quase sem nenhum charme ou carisma, é o herói do filme.
Cruise é o bandido sem escrúpulos por quem sentimos simpatia. E Foxx é o cara comum que se revela excepcional. Fazendo uma analogia banal, Michael Mann é o motorista Max do filme, pois se revelou pra mim como um diretor criativo e sagaz e finalmente entrou para a minha lista de memoráveis.

—-

7 thoughts on “Collateral

  1. ´Saíu errado.. Queria dizer: também não curto muito os filmes considerados de ação e nem sou muito fã de Tom Cruise. Gosto dele fazendo par com a Rebeca de Mornay em Negócio Arriscado. Não sei o nome em inglês. Sou fã de Broadway também. E da antiga então, nem se fala! Outro dia vi “Meias de Seda” com a graciosa Cyd Charisse e o Fred Astaire. Adoro dança.
    Vive la paix, abraços e desculpe qualquer coisa… Fui ríspida no outro comentário. Abraços, Gisela

  2. Esse é um tipo de filme que eu não tenho vontade nenhuma de ver. Eu quero é ver “Brilho eterno…” e “A Vila”… uuuu….

  3. Fer!! Eu acho que vou gostar mais do Tom Cruise do que do Foxx. Hehehehehe… Mas tudo bem. Pelo menos vc gostou do filme. Já é um ganho. ;^))
    Ah! Eu quero aprender a colocar fotinhos assim que nem vc fez, com um espacinho entre uma e outra. Como faço isso?
    Beijocas!

Comments are closed.