Pat Garrett and Billy the Kid

Eu ouvi o disco muito antes de ver o filme. Meu pai me deu a trilha sonora de Pat Garrett and Billy the Kid por causa da minha obsessão pelo Bob Dylan e eu ouvi esse disco até furar. Só muitos anos depois que eu consegui finalmente ver o filme.
E outro dia revi, num festival Sam Peckinpah que tomou conta dos dois canais de faroestes que eu tenho no meu pacote de cable. Primeiro vi um documentário sobre Peckinpah [duas vezes]. Depois dei de cara com dois filmes dele, passando em canais diferentes na mesma hora. Um era Bring Me the Head of Alfredo Garcia, de 1974 e o outro era Pat Garrett and Billy the Kid, de 1973, que eu resolvi rever pela enésima vez.
Nunca me canso de algumas cenas, como a com Katy Jurado vendo o xerife morrer na beira do rio ao som de Knockin’ on Heaven’s Door ou qualquer cena com o carismático James Coburn ou com o bonitão Kris Kristofferson. E todas as cenas com o pior ator do filme: Bob Dylan! Meusdeuso, que canastrice, como ele é péssimo! Até senti um pouco de empatia, pois eu acho que também faria aquelas caras que ele faz no filme, se tivesse que representar um papel na frente de uma câmera. Ele se destaca por ser quem é e por estar atuando tão terrívelmente mal. Nada pode ser perfeito, né? O cara faz uma trilha sonora maravilhosa, não poderia também ganhar um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Tudo tem um limite!
Mas nem por isso Pat Garrett and Billy the Kid perde pontos. A atuação rídicula de Dylan só acrescenta mais charme ao filme. Pois me diga, onde você pode ouvir um diálogo como este:
Pat Garrett [James Coburn] perguntando à Alias [Bob Dylan]:
– who are you?
Alias respondendo:
– that’s a good question……

|||
patbilly