O Declínio do Império Americano

Porque eu finalmente vi As Invasões Bárbaras, quis rever O Declínio do Império Americano, filme do mesmo diretor feito quase vinte anos antes com os mesmos personagens. Eu queria mesmo era rever os atores…. compará-los nos dois filmes. Eu nao lembrava da história, mas assim que comecei a rever o filme ontem, recordei que fiquei meio de piquá cheio com a verborragia quando o vi pela primeira vez. O filme é uma falação sobre sexo – homens pra cá, mulheres pra lá. Intelectuais de Quebec, professores de uma universidade. A esposa do Rémy [o que morre no Invasões] é a única que não é acadêmica. A preocupaão dela é permanecer magra [e como já é magra, cruzes!] e manter a familiazinha unida e feliz. O resto dos personagens me passaram um sentimento de nojo e pena. O final do filme lembrou um pouco uma parte de Sideways – o cara pula a cerca o quanto pode, só tem sexo na cabeça, mas quando ele percebe que pode perder a mulher [a certinha, que deve ser o único ponto de equilibrio na vida dele] a situação muda, tudo nubla, dá um pânico.
Comparado com As Invasões Bárbaras, O Declinio do Imperio Americano me pareceu o retrato do ápice da vida desses personagens [nos seus quarenta e muitos anos?] e que dali em diante, no hiato entre um filme e o outro, vai comecar a decair. No segundo filme percebe-se os arrependimentos, as frustrações, o padrão de comportamento que se repete patéticamente, mesmo quando se sabe que nao é por ali que se vai encontrar a tal felicidade [como o amigo que casa com a tonta trinta anos mais nova que ele e finalmente tem filhos]. No final, gostei de ter finalmente assistido o segundo filme [que não me mordeu!] e tambem de ter revisto o primeiro.

3 thoughts on “O Declínio do Império Americano

  1. E caiu das nuvens com Sideways, não é?
    Não teve review:-)
    Mas eu adoro tudo o que li deste filme.
    E fiquei apaixonada pelo ator Paulo Gia…(sp?)
    desde American Splendor que eu adoro.
    O Pekar tem blog.
    beijo

  2. Oba, num post só, vc respondeu 3 perguntas que eu queria fazer.
    Sobre Sideways, e sobre os dois filmes.
    Não me mordeu tamém e digo isso, para mostrar uma coisa na qual não suspeita para falar.
    Acontece que acad~emcicos vêem o mundo desa forma, é a eles que cabe discutir conceitos.
    Mas as pessoassão im piedosas com ese tipo de gente, classe na qual eu me incluo. Infelizmente.
    Mas pra mim, sabe Fezoca, pode ser desagradável de ver num filme, ou ler num livro mas é ainda o que ajuda as pessoas a não se precipitarem em seus julgamentos e preserva uma certa sanidade é falar, falar, falar…
    Só pra constar, não é crítica não.:-)
    Beijos
    Meguita Durango:-)

Comments are closed.