As duas “faces” de William Holden

William Holden nasceu em 1918. Morreu em 1981 e, na minha humilde opinião, foi o homem mais sexy e mais charmoso do cinema na década de 50. Foi também um dos melhores atores da década, com direito a Oscar e tudo o mais. Mas o que fez de Holden o astro que ele era foi seu carisma e fotogenia. Ele não levava a arte de representar a sério. Fez alguns filmes brilhantes e incomparáveis como Sunset Blvd. e The Bridge Over the River Kwai. Fez comédias deliciosas como Sabrina e Born Yesterday e fez filmes românticos de partir o coração como Love is a Many Splendored Thing. Além desses fez alguns westerns, dramas e até filme de terror. Alguns bons, outros nem tanto.
E fez Picnic.
Uma peça de sucesso na Broadway, adaptada para o cinema em 1955, quando Holden tinha 37 anos e fez par romântico com Kim Novak, então com 22 aninhos. A história é um dramalhão horroroso. O filme envelheceu muito mal e os clichés abundam. Tem a professora solteirona que está envelhecendo e “precisa” se casar de qualquer maneira, não importa com quem. Tem a jovem “feia” e intelectual que vive escondida atrás de óculos e livros. Tem a mãe abandonada que acha que a salvação da família é ver a filha bonita casar com o rico da cidade. Tem a jovem bonita que é bonita e sofre por isso. Tem o filho de pai rico que é rejeitado pelo pai e tem o não tão jovem vagabundo que se esconde atrás do charme e da fala mansa.
Apesar disso tudo o filme é uma delícia, uma pérola dos anos 50, no estilo Written on the Wind, mas não tão bom. O elenco, que inclui Rosalind Russell, Susan Strasberg (filha do famoso Lee Strasberg do Actor’s Studio) e Nick Adams (camarada de James Dean que nunca chegou a fazer muito sucesso), está fantástico. Kim Novak já era bonita e está muito bem. A fotografia e o desenho de produção são um show à parte. Toda a seqüência do picnic é muito rica em detalhes e é, de fato, o ponto alto do filme.
E, “de quebra”, tem William Holden, vivendo Hal Carter, o vagabundo que está envelhecendo e tenta fugir disso. Através da personagem de Kim Novak ele se encontra e vislumbra um novo futuro. “Você me faz ser paciente”, ele diz a ela. Eu queria alguém que me fizesse mais paciente. :^)
Uma curiosidade é que, em 1950, quando fez Sunset Blvd, Holden aparece sem camisa, com o peito cabeludo, exaltando sensualidade e seduzindo a diva Gloria Swanson. Já em 1955, para fazer todas as cenas sem camisa que o roteiro exigia, Holden teve que raspar o peito e a barriga. O código de censura dos anos 50 era extremamente rígido e um homem com tantos pêlos no corpo, sem camisa, seria algo mais explícito para a época do que um “jovem imberbe”. Hehehehehe. Hoje em dia muitos homens depilam o peito por uma questão estética, naquele tempo a falsa moralidade do famoso Código Hayes fez com que William Holden, aos olhos do espectador atual, ficasse ainda mais sexy. Confiram nas fotos abaixo.

picnic_shirtless2.jpg picnic_shirtless3.jpg
picnic_dance.jpg picnic_hiding.jpg
sunset1.jpg sunset2.jpg

Na primeira foto Holden aparece ao lado de Cliff Robertson, conhecido atualmente como o avô do Homem-Aranha. Reparem nos enquadramentos, típicos dos anos 50 e na genialidade do diretor Joshua Logan que filmou Holden e Novak da cintura para cima durante a cena da dança no picnic, já que nenhum dos dois sabia dançar direito. Nas fotos em PB, Holden e Gloria Swanson, no clássico noir de Billy Wilder. Provavelmente o melhor filme de todos os tempos.

5 thoughts on “As duas “faces” de William Holden

  1. Tinha 12 anos qdo vi Picnic, e me apaixonei perdidamente pelo WHolden. Acho q foi um grande amor, serio … Revendo o filme hoje, noto outras coisas, além de ainda achar aquele homem lindo:os “cliches”, para mim, são o forte do filme, pq cada detalhe é de uma delicadeza impressionante- os olhares-RRussel qdo o vê sem camisa, BField qdo percebe o “perigo”, a apresentação do feriado, c/ aquele bando de crianças e os jogos ingênuos, o senso de humor… A dança mesmo, ainda te prende o fôlego. Filmão!

  2. Moa, sera que voce consegue perceber umas modificacoezinhas que eu fiz aqui no Cinefilia?? ;-)) Melhorou!! … 🙂
    beijoooooS

  3. Moa, o Holden ganhou Oscar por que filme?
    Concordo com tudo o que voce escreveu sobre ele. Lindo, mas meio blase interpretando. Essas fotos delem hmm, gosto das duas versoes! Moa, voce precisa ver Rachel and the Stranger, eh nesse filme que o Holden esta mais guapo!! ai, ai, ai!! Que fanzoquice descontrol! 🙂 beijooos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *