The Subterraneans – Beatniks no cinema

1960_subterraneans.jpg

Outro dia lembrei do quanto gosto do universo beatnik de Jack Kerouac e seus pares: Allen Ginsberg, Neal Cassidy e outros mais que produziram fascinantes obras literárias e viveram os anos 50 na “contracultura”, poetizando e saboreando cada momento da estrada e das novas descobertas. Em 1953 Lawrence Ferlinghetti, outro representante dessa época, fundou a City Lights Bookstore, uma livraria que virou ponto turístico em San Francisco e foi cenário de muitas reuniões dessa galera.
Esses romances, cartas e poemas me inspiram tremendamente e essa leitura sempre me dá a sensação de que a vida é muito mais do que trabalhar para pagar contas e manter a roda girando.
Um filme “obscuro” e desconhecido de muitas pessoas, que não fez muito sucesso e não é fácil de ser visto, mas que eu considero uma ótima ilustração de tudo isso é The Subterraneans, baseado no romance homônimo de Kerouac. Do cenário ao elenco tudo tem o feeling certo. Rodado em São Francisco, com Leslie Caron fazendo a francesa atormentada, Roddy McDowall como o poeta torturado e ainda Jim Hutton num papel secundário, o filme tem o gatinho George Peppard como maior atrativo visual. ;^) George e Leslie fazem o par romântico, claro, e eu adoro quando ela vira pra ele e diz, “Não consigo olhar para você. Você é tão bonito que chega a doer.” Dá pra discordar?

george_peppard.jpg

Enfim, não lembro muito mais do roteiro, acho até que não é tão bom assim, no máximo uma ótima Sessão da Tarde, mas, como disse antes, é uma bela ilustração do período e do clima beat. Acho que tenho uma cópia num VHS velho. Pena que meu VCR tá ruinzinho. Cópia em DVD (original) ainda não existe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *