2_5.jpg

Walt Disney já produzia filmes de animação em longa metragem desde 1937, quando fez Branca de Neve e os Sete Anões. Todos seus longas de animação costumavam ser extremamente românticos e coloridos, com cenários delicados e vibrantes. Os desenhos “básicos” eram feitos pelos artistas “principais”, digamos assim, e depois os traços eram copiados e “limpados” por outros artistas “secundários” (por falta de termo melhor) que pintavam nos acetatos (transparências) e esses eram sobrepostos aos desenhos dos cenários para fotografar cada quadro e fazer as animações. Walt supervisionava tudo e tudo era feito à mão por dezenas e dezenas de artistas.
Se analisarmos os aspectos visuais e também a quantidade de elementos fantásticos nas histórias dessas animações (Pinocchio, 1940; Fantasia, 1940; Dumbo, 1941; Bambi, 1942; Cinderella, 1950; Alice no País das Maravilhas, 1951; Peter Pan, 1953; A Dama e o Vagabundo, 1955 e A Bela Adormecida, 1959) veremos que 101 Dálmatas, lançado em 1961, é o primeiro desenho de longa metragem de Disney em que não há aspectos fantásticos. Apesar dos animais “falarem”, eles se comunicam apenas entre si e latem para os humanos mas não falam com eles. É uma história bem mais realista onde os humanos se comportam como humanos e os animais como animais.
Das cores românticas e traços delicados dos desenhos anteriores temos em 101 Dálmatas um visual bem moderno, em tons pastéis e desenhos típicos das décadas de 50 e 60, lembrando um pouco uma mistura do look de Mary Poppins e os cartoons de Jules Feiffer (que eu ADORO) ou anúncios publicitários daquelas décadas. Se bem que Poppins veio alguns anos depois e Feiffer começou a fazer sucesso naquela época o que me faz pensar que talvez seja o contrário e os Dálmatas influenciaram os outros. Mas também é o fato da história se passar em Londres que me faz pensar em Mary Poppins. O importante é que o visual é realmente diferente dos clássicos desenhos da Disney até então e marcou uma mudança também na técnica aplicada.
Se até então os desenhos eram copiados manualmente nos acetatos, em 101 Dálmatas os artistas começaram usar uma nova e moderníssima copiadora Xerox que reproduzia os desenhos para o acetato, sem necessidade dos artistas que eu chamei aqui de “secundários”. Os traços são exatamente os originais dos criadores de cada personagem e isso dá ao filme uma dimensão mais realista e “crua” do que vemos nos outros clássicos.
Além desses aspectos técnicos, do estilo dos desenhos e da ausência de elementos fantásticos e, portanto, da atmosfera mais realista, 101 Dálmatas entrou para a história e ficou popular por duas outras razões. A primeira é que os dálmatas são extremamente fofos e ninguém consegue resistir ao encanto de tantos filhotes para tudo quanto é canto da tela. Mesmo os mais durões se envolvem e se emocionam com os acontecimentos. A autora da história original, Dodie Smith, era dona de alguns dálmatas e teve a idéia de escrever essa história baseada em sua experiência com os filhotes e por causa de um comentário de uma amiga que disse que seria lindo ter um casaco de peles feito com aqueles bichinhos. O que nos leva para a segunda e, talvez, maior razão para o sucesso de 101 Dálmatas: Cruella De Vil é a vilã mais famosa e popular de todos os desenhos da Disney. Ela figura também na lista dos 100 maiores vilões do cinema do American Film Institute. Sua figura esquelética, seus gestos grandiosos e exagerados, sua obsessão pelos casacos de pele e sua gargalhada extravagante a faz realmente inesquecível. Li em alguns lugares que ela teria sido inspirada em Tallulah Bankhead, mas vendo os extras no DVD descobri que a Disney contratou Mary Wickes para dar vida à personagem e posar para os desenhistas. Mas muito do mérito é da própria autora que imaginou uma versão extremada da sua amiga que gostaria de ter um casaco com a pele dos filhotes de dálmata e do desenhista Marc Davis que foi o único responsável pelos desenhos de Cruella, enquanto que um time de diversos artistas se revesaram desenhando os outros personagens.
Visto hoje em dia 101 Dálmatas tem a cara de um desenho clássico, chique, bonito e sofisticado. Para amantes de cachorros é irresistível. Para quem gosta de uma boa vilã é obrigatório!

101dalmatians2lg.jpg 101dalmatians1lg.jpg
101dalmatians3lg.jpg small_front.jpg

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *