How not to love Audrey?

Audrey Hepburn sempre foi uma favorita entre as favoritas. Impossível não sucumbir ao seu charme, elegância, humor e delicadeza. Breakfast at Tiffany’s é sempre o mais citado e eu cheguei a realizar meu sonho de ver esse filme em tela grande, em New York, anos atrás.
Mas nada me fez rir mais do que Audrey ao lado do também delicioso Peter O’Toole na comédia How to Steal a Million, dirigida por William Wyler (outro favorito) em 1966.
how_to_steal_a_million.jpg
Passado inteiramente em Paris, com direito a locações maravilhosas, o filme conta a história de uma filha que faz de tudo para impedir que seu pai, um talentoso falsificador de pinturas e esculturas famosas, vá para a cadeia. Com a ajuda de um suposto ladrão, ela quer tirar de um museu uma estátua que seu pai esculpiu e que todos pensam ser legítima.
Quando vi esse filme pela primeira vez, ao lado da minha mãe, numa Sessão da Tarde qualquer, gargalhamos como se estivéssemos num circo. Audrey e seus olhos arregalados, suas expressões inesquecíveis e seu talento único capaz de misturar drama e comédia em segundos, nos arrebatou.
Como é possível não adorá-la?
audrey_million_2.jpg
audrey_million_1.jpg
Interessante que esse filme, junto com Two for the Road, de 1967, não costumam ser muito citados nos artigos sobre Audrey mas são os que eu mais gosto. Que Breakfast at Tiffany’s me perdoe.

One thought on “How not to love Audrey?

  1. Também adoro esse filme, Moa! É impagável. Audrey está mesmo linda e engraçadíssima!
    E o Bonequinha de Luxo vem, pra mim, atrás desse, do Roman Holiday e do My Fair Lady. 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *