lioncolor.jpg
Hoje assisti um filme que eu queria ver há anos! Tenho lido a respeito de Roar desde que virei fã da Tippi Hedren. Quando foi isso eu não sei precisar. Acho que tem mais de 20 anos, pelo menos.
Tippi foi casada com Noel Marshall e já era mãe da então jovem e belíssima Melanie Griffith quando ela e Noel resolveram fazer um filme que conta a história de uma família em uma aventura na África, cercados de leões, tigres, panteras e elefantes. O filme levou 11 anos para ser concluído e a história precisa de muita coisa para ficar boa, mas os animais são INCRÍVEIS, LINDOS e são os verdadeiros astros do filme.
Também é inacreditável ver Tippi, Melanie e os filhos de Noel interagindo com os animais. Mais impressionante ainda é como Noel Marshall se relaciona com os leões, como se fosse um deles e, aparentemente, era assim que os leões o viam também.
Difícil imaginar que uma lady tão glamourosa como a Tippi conseguiu ser casada com um “troglô” como o Noel. Pelo menos durante a filmagem ele era um bicho selvagem. ;ˆ)
Na foto abaixo, Tippi e Melanie, bem antes de Roar, provavelmente na década de 60, quando Tippi filmava com Hitchcock. Não eram LINDAS???
tippi+melanie.jpg

7 thoughts on “Roar 1981

  1. Moa, como assim você nunca viu Born Yesterday de 1950?? Precisa ver urgente! É um filme adoravel, a Judy Holliday está muito divertida–sinto muito pelo afano do Oscar, mas ela mereceu [e morreu jovem, nao pode ganhar outro]. E o William Holden está um PÃO de óculos, nossa, muito lindoo! Tem uma cena da Judy jogando baralho com o Broderick Crawford no filme que só de lembrar meus olhos se enchem de lágrimas de riso. Assiste, vá! 🙂
    beijo,

  2. Meninas, eu nunca vi nenhuma das duas versões. Eu imagino que a primeira seja melhor, claro. Até porque a Judy Holliday TIROU o Oscar da Bette Davis e da Gloria Swanson no ano de “All About Eve” e de “Sunset Blvd”. O filme TEM QUE SER BOM, né?
    Mas a Melanie, mesmo tendo virado uma quase freak, mora no meu coração. Adoro os primeiros sucessos dela: “Body Double”, “Something Wild”…

  3. Nega Lu! Esse filme com a Melanie é o remake pobretão do maravilhoso Born Yesterday com a Judy Holliday e o William Holden. Sem comparação!
    beijaooooo, :-*

  4. Nega, cê acabou com a Melanie agora heim? Eu adorei aquele filme dela em que ela arruma um professor particular pra ficar mais inteligente, vocês lembram qual? Aí ela recita os artigos da constituição e o pessoal fica bobo – como é mesmo que se chama o filme? BeijoSSS :)))

  5. que lindas as duas juntas! pena que a Melanie não envelheceu com graça e elegância como a mãe e virou a loira peituda e beiçuda casada com o Antonio Banderas. :-/

  6. Yedita!! Que saudades!!
    A Tippi é a que fez Marnie, sim. ADORO! E, certamente, os tipos dela e da filha são bem diferentes. Ela é mais classuda e a Melanie… bom… deixa pra lá. Hahahaha!
    Eu ADOOOORO os Beatles! Sou bem mais beatlemaníaco do que pedra rolantes (embora goste deles também, claro). Eu tenho uma cópia do “Across the Universe” e acho o filme LINDÍSSIMO! Pra ver e rever várias vezes. “Frida” também é um filme lindo que vale a pena ser visto. A Salma Hayek dá um show. E as cores são lindas, como em “Across the Universe”.
    Infelizmente você não vai encontrar “Roar”, o filme dos leões, para alugar… Eu fiz download pela internet. É horrível confessar isso, mas tem que filme que se não for desse jeito a gente não vai ver nunca.
    Beijocas e apareça mais vezes (embora a gente não escreva muito – hehehehe)!

  7. MoAAAAAAAA, lindas as fotos, essa Tippi Hedren que fez Marnie as confissões de uma ladra neh não? Nem imaginava que fosse mãe da Melanie Griffith, as duas fazem tipos tão diferentes… vou alugar esse filme dos leões, deve ser bem interessante… menino, eu tava vendo agora no HBO um filme chamado “Across the Universe”, você assistiu? Bom, acho que quem vai curtir mesmo são os beatlemaniacos como eu (o filme é de 1997, da mesma diretora de Frida, que não vi mas vou ver se alugo agora). Você curtia os Beatles? Sei que a Fezoca não, ela gostava era das pedras rolantes, mas eu achei esse filme tão tão lindo – musicalmente falando, e as imagens também não deixam a desejar – que quis fazer a recomendação dele aqui pruceis. Muitas beijocas e saudades mil da Yedita.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *