I Love You, Phillip Morris.

iLoveYouPhillipMorris.jpg
Uma mistura de Catch me if you can com Oz (a série da HBO), I love you, Phillip Morris estreou por aqui na semana passada e eu corri para ver no cinema, antes que saia de cartaz. Um filme difícil que poucas pessoas conseguirão curtir.
Baseado numa história verídica, por mais absurda que pareça, o filme é adaptado de um livro que conta a história de Steven Russell (Jim Carrey), um cara casado com uma mulher extremamente religiosa, com dois filhos, e muitas transas com outros homens, que resolve, após um acidente quase fatal, viver a vida sem mentiras ou falsidades.
Ele se muda para Flórida e assume um relacionamento com Jimmy, vivido pelo LINDO Rodrigo Santoro. Só que, ele diz logo no começo da história, “essa vida de gay é cara” e ele precisa dar um jeito de arrumar dinheiro para viver “dignamente”. Steven vai parar na cadeia por causa de seus golpes e lá conhece Phillip Morris (Ewan McGreggor, maravilhoso como sempre). Steven e Phillip se apaixonam e vivem um lindo romance atrás das grades. Quando saem da prisão (graças a golpes e falcatruas de Steven), vivem maravilhosamente bem até que voltam para a prisão e assim segue a vida dos dois até o fim. Golpes, prisão, fuga, golpes, prisão, fuga… Até o fim.
O filme tem cenas cômicas pois é um filme com Jim Carrey. Tem cenas românticas e tocantes, muito em função da performance de McGreggor e tem cenas muito tristes, principalmente se pensarmos que é uma história real.
Não sei quantas pessoas vão gostar do filme, mas eu, bobo do jeito que sou, engoli tudo, sedento sempre por histórias de amor entre dois homens. Essa é uma das mais intensas, embora bem fora dos padrões da “normalidade”.
Rodrigo Santoro aparece pouco mas marca presença. Ora pela beleza, ora pelo talento. A cena em que está no hospital, exigindo que Steven lhe faça uma promessa, é tocante.
Iloveyouphillipmorris_2.jpg

6 thoughts on “I Love You, Phillip Morris.

  1. Ah, que legal, Fer! Tem tempo que a gente não concorda muito, né? Ou melhor, tem tempo que a gente não fala muito sobre filmes! Hehehehe.
    O Jim Carrey realmente é exagerado, mas a gente aceita porque é um filme com Jim Carrey. 😉 It comes with the territory! Eu vou agora ver o último episódio de Mildred Pierce. Depois eu conto!
    Ah! Hoje vimos Albert Nobbs e achei o filme triste mas muito bonito. Glenn Close está TOCANTE! Adorei!!

  2. Moa, acabei de ver esse filme e gostei muito. o Jim Carrey as vezes é um pouco exagerado, mas faz parte. concordo com absolutamente tudo o que voce escreveu, mas realmente nao é um filme pro mainstream. talvez por ter um tom de comedia.

  3. Eu, apesar de amar TODAS as comédias de Carrey, não gostei da aruação caricata do trailer. E o pior… tenho birra com o McGreggor, quero muito ver o filme mas algo me diz que não vou gostar.
    Hmm… mas se o Santoro aparece com toda sua beleza, isso já é razão o suficiente para correr pro cinema,
    Achei corajoso fazer um filme hollywoodiano sobre o mundo gay sem fazer um drama, uma comédia ainda! adoreei isso!!

  4. Pois é, Fezoca. Eu pensei em você e na sua fanzoquice pelo Jim Carrey, mas acho que esse filme ainda não estreou nos EUA. O filme é antigo, já tem uns dois anos, talvez. O estúdio e seu pessoal de marketing não sabe como vender o filme e está com medo de que ninguém vá vê-lo. Então eles lançaram fora dos EUA primeiro para ver a receptividade e depois vão distribuí-lo no mercado americano.
    Coisas de Hollywood e da mentalidade norte americana…

  5. meudeuso, como que eu não ouvi nada sobre esse filme? vou ter que ver ASAP, porque sou fanzoca do Jim Carrey e até gosto do Ewan McGreggor. vamos ver se vamos combinar nossas opiniões desta vez! 😉
    beijo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *